Oitavo passo

Lei Divina

Lei Divina

Lei Divina - Casinha Belém
00:00 / 00:00

Amados e amadas, o convite de Deus, o grande convite do Cristo amado, do nosso doce e amoroso Raboni, é um. O mesmo. Em todos os tempos sempre foi o mesmo. O convite é:  Amarmos! Sim, amar como Ele nos amou. É amar tanto, a Deus, tanto ao Pai... É brilhar este amor numa intensidade tão grande, que transformamo-nos em estrela de amor enquanto caminhamos por essas paragens. Difícil? Não!  Não... Possível! Todos nós recebemos em essência o caminho. Todos os artefatos, todos os artifícios, toda ferramenta, para que nós possamos amar. Recebemos um corpo, recebemos uma família, recebemos talentos, recebemos tudo!

Entramos numa nova organização – encarnados - trazendo este selo maravilhoso de amor. Somos cuidados, zelados... Cada qual, com seu merecimento. Cada qual com aquilo que semeou em vidas passadas. Recebendo nesta existência, este pequeno e maravilhoso ato de correspondência do amor, em vidas pregressas.

Amado e amada, e aqui estamos nós, prontos para esse pequeno e grande exercício de sermos nós mesmos. Com todas as belezas, e às vezes, com todas as dificuldades que carregamos. Mas, nós sabemos, no íntimo do nosso ser, nós sabemos, que temos de Deus, que temos - de nosso doce Raboni, de Jesus nosso mestre amado - todo o apoio necessário, para que nós possamos caminhar em amor. Não precisamos de dinheiro, não precisamos de nada, amados, nada que não seja o amor de Deus em nós, nada que não seja aquilo que já trazemos em nossa essência; e tudo que sai disso, é desamor. É servir a um senhor cruel. Um senhor que nega a essência do amor em nós.

Tudo em nós caminha para o amor. Vivemos, seguimos nesse caminho vital, amoroso, belo! Sigamos todo esse conjunto de regras e normas. Olhemos para frente e estaremos reproduzindo o caminho do amor na terra. Como? Sendo nós mesmos. Sendo bons filhos, sendo bons companheiros, sendo bons amigos, enfim, fazendo tudo que está ao nosso alcance.

As nossas lutas serão íntimas, nós lutaremos contra os nossos vícios, contra as nossas dificuldades de vidas passadas e saberemos muito claramente a diferença entre um e outro. Porque trazemos em nós a consciência. Trazemos em nós esse caminho claro, preciso, de por onde caminharmos.

 Então amados,  pensemos nisso, caminhemos com toda força em direção ao nosso centro, ao que há de mais precioso em nós. E aí encontraremos Deus - essa fagulha divina a brilhar, a dar-nos direção precisa, clara.

 E aí brilharemos. Estrelas incandescente do amor de Deus na terra. Emanaremos o amor. Confiemos. Sejamos filhos, olhemos para essência de nós mesmos e encontraremos, Deus em nós, a paz em nós. Paz no coração de todos.