Sétimo passo

O Cristo Consolador

O Cristo Consolador

O Cristo Consolador - Casinha Belém
00:00 / 00:00

Amados irmãos e irmãs, vamos então, neste momento - precioso momento - este momento religioso... Religioso no sentido maior: religação, religião. Momento em que nós, nos reunimos uns aos outros. Nos reunimos a toda essa equipe de irmãos desencarnados, que aqui estão, para nos auxiliar. Todos nós reunidos, somando os nossos esforços, as nossas energias, para que nós possamos juntos, acender essa grande chama: essa essência divina que nos eleva às alturas.  Eleva-nos ao contato com as esferas superiores, e  portanto, com as verdades maiores.

Amados e amadas, nós então, temos nesse encontro – religare: de religação, de religião - temos o encontro com o Divino. Temos um encontro com o Sagrado, com o sacro. O sacro santo encontro se dá, neste momento. Nós reunidos, somos, como disse Jesus: - “vós sois Deuses”(*1). Nos orientando, nos auxiliando, somando, encarnados e desencarnados...chegamos a esfera Crística. A esfera do divino. Neste momento então, nós podemos viver um pouquinho e saborear em pequena escala, o princípio do “discipulado”. Nós somos discípulos de um grande e amoroso mestre – Jesus - a quem amamos, e a quem tentamos com todas as nossas forças seguir. Discípulos. Nós seguimos o mestre e tentamos trazer para os nossos dias, estes ensinamentos, caminhar por essas estradas seguras, delineadas pelo Cristo de Deus.

Temos então a nossa frente:  o mestre. Aquele que nos conduz, e nós, discípulos, seguimos o mestre por amor. Eis instaurado em nós então o princípio da disciplina, somos discípulos do mestre que nos conduz a campos de paz.

Religare. A religação dentro desse princípio está realizada, existe uma meta, existe um conjunto crístico delineado e nós seguimos esses ensinamentos, então temos clareza de todo processo porque somos conduzidos por esse Mestre/Pai/Professor/Condutor dos nossos caminhos. E a nós cabe a tarefa do discípulo, de:  amar, obedecer (ser orientado por, ser conduzidos por) e basicamente tornar-se filho, ou obediente ou seguidor.

Amados e amadas, eis o grande caminho do processo religioso. E nós seguimos...Enquanto seguimos a esse Mestre de pura luz e amor, nós vamos escrevendo a nossa história. Somos autores da nossa história. Grafamos com letras do nosso amor, da nossa prática, da nossa vivência, gravamos, página a página, uma nova vida, uma nova experiência.

Imaginemos! (Nós já vivemos muitas e muitas vidas) Imaginemos que em cada uma dessas vidas, deixamos grafado com letras maravilhosas permitidas por Deus, amparadas pela espiritualidade amiga de todos os tempos, e nossos anjos tutelares, e ali temos,  páginas e páginas de um grande e maravilhoso livro de vida de cada um de nós - vida em espírito - somando muitas e muitas vidas encarnados. Se olharmos então para esse livro e folhearmos, como quem folheia um álbum de fotografia de família, teremos, numa sequência X ou Y, um desencadear das várias vidas, podemos, por exemplo, ter vivido uma vida como homem ligado a um exército de muitas conquistas, e ali então, teremos introjetado, ganhado, absorvido, construído em nós, todo um caminho de bravura, de heroísmo, de dedicação.

Viramos a página e encontramo-nos em corpo feminino, tecendo vestes, costureira. Teremos então uma vida de dedicação a edificar vestes, vestimentas e todo trabalho cotidiano de tecimento da paciência, do embelezamento do outro, enfim, chegaremos a uma linda página de trabalho, dedicação, tolerância, paciência, etc.. e aí viramos a página amados, viraremos muitas e muitas páginas e ao final do folhear desse grande livro, descobriremos que somos autores de muitos e muitos caminhos, escrevemos entre erros e acertos, entre alegrias e tristezas, dores... Escrevemos nesse livro uma vida, várias vidas, temos em nós esse arsenal, cada espírito carrega, uma memória ancestral de muitos, muitos, muitos valores. Carregamos em nós, amados, muitas vezes, maravilhas!

Amado e amada, somos autores dessa idade, que a vida e as vidas e as vidas, faz! Autoridade. Ganhamos então, na vida atual, um quantum energético, que quando estamos diante de uma dificuldade, por exemplo, em que envolve bravura, coragem! Automaticamente, todo o nosso ser milenar, ancestral, o nosso inconsciente acessa as vidas que passamos ligados aos campos de batalhas e de bravuras. Emerge em nós uma energia já conhecida de bravura, e nessa hora temos em nós - que fomos autores deste caminho, vivemos, escrevemos -  temos em nós a autoridade diante de tal ou qual situação. Emerge em nós, por mais que estejamos em corpos frágeis, em situações difíceis. Volta esse tesouro do conhecimento que habita em latência em nós. Não de maneira direta nem racional, mas, é uma energia que vem do conhecimento, da sabedoria acumulada durante vidas e vidas. Chamamos a isso autoridade, esse algo a mais que faz com que nós atrevêssemos com segurança, períodos que muitas vezes nos parecem difíceis e que sucumbiríamos se não tivéssemos em nosso coração essas energias. Muitas vezes atribuímos a anjos que nos visitam e a outro que nos outorga, mas, muitas vezes essas energias jazem em nós, silenciosas como a substância que gerará o broto dentro da semente.

Imaginemos uma semente e depois o broto saindo. O novo já estava em processo ali dentro. Assim também somos nós, carregamos em nosso coração, muitas energias em essência, que afloram ou não, dependendo das situações. Então, amado e amada, todo o movimento de ira, de revolta, de irritação, de corte, que vem absolutamente sem autoridade, porque, vem assinado por páginas que não nos toca o coração. Ou não fizemos essa lição ou fizemos de uma maneira equivocada, e nessa hora então, isso nos retira do campo de paz. Porque não tem a ver com esse saber milenar, que habita em nós e nem com o saber da humanidade, que nos guia. Então, amado e amada, pensemos nisso. Vamos deixar que essa sabedoria ancestral da humanidade nos oriente e nos guie. Como? Sendo filhos, obedecendo, aceitando o comando dos que estão a nossa volta. E  nessa hora então, a sabedoria milenar que também habita em nós - almas antigas - será como um florescer de novos caminhos.

Amado e amada, não deixemos que a razão nos retire desse campo de paz! Deixemos que a razão seja conduzida pelo coração, e o coração conduzido pela razão, e assim, estaremos em sintonia com essa grande lei de amor que rege todos as coisas. E encontraremos a paz. A paz florescerá em nós e a nossa volta. Sendo obedientes, discípulos e deixando emanar a verdadeira autoridade. E aí, a nossa mão esquerda não precisa saber do que a nossa direita faz, porque ambas estão sob o comando de Deus - nosso Pai - através dos milênios que já passaram ou através das experiências futuras que virão... Paz no coração de todos, e que Jesus, nosso doce Raboni, nos permita mergulharmos cada vez mais em nós mesmos e no doce e maravilhoso enlace com o outro. Paz no coração de todos!

*1 – “Não está escrito na vossa Lei: Eu disse que vós sois deuses?” (João 10:34)

Palestra de Haroldo Dutra – “O Espírito de Verdade”

Nesta palestra, Haroldo Dutra explica a trajetória do Espírito de Verdade, desde sua vinda à Terra, nos tempos antigos, até a codificação da Doutrina Espírita por Allan Kardec, que organizou os ensinamentos do Cristo Consolador a fim de demonstrar que suas lições de amor são o caminho para se alcançar a ascensão espiritual.

La Madre Teresa de Calcutá – Documental

(Vídeo 52 min.)

O documentário mostra a vida de Madre Teresa – uma vida de dedicação ao próximo. 

Ao longo dos minutos deste documentário, veremos que a presença de Madre Teresa em todos os recantos, trouxe a esperança, o consolo; em forma de alimentos, remédios e abrigo, aos irmãos mais necessitados de Calcutá. Homens, mulheres e crianças vagavam pelas ruas sem dignidade. Muitos doentes e famintos. Idosos estirados pelas beiras das calçadas, “invisíveis”, esperando a morte chegar. Essas imagens tocaram profundamente o coração de Madre Teresa, e a mobilizaram a fundar a congregação - “Missionárias da Caridade”, mulheres dispostas a “enxergar o Cristo no irmão”. 

Madre Teresa é o exemplo de quem faz a vontade de Deus, pondo em prática os ensinamentos de Jesus. Ela é apenas “um lápis, nas mãos de Deus”. E, com ela, poderemos vivenciar o Amor que cura o corpo e a alma, pois nela temos os reflexos do Consolador vivo para cada um de nós, e para o mundo.

Amad@s, veremos nestes dois vídeos, duas manifestações de arte distintas. A primeira; Akiane, artista plástica, menina prodígio, desde os 4 anos de idade já manifestando seus dotes artísticos. Como observaremos em seu depoimento, ela vê e ouve e é orientada por “anjos” que a conduzem por caminhos pictóricos. Uma médium. Um ser que dialoga com esses mundos através das artes... No segundo vídeo, veremos o John Lenon da Silva, em um concurso de dança, emocionar (às lágrimas) os jurados – profissionais da área da dança... Um jovem talentoso, trazendo através de sua arte uma leitura de mundo... Um jovem que através da arte canaliza as emoções e as materializa.

A arte traz em seu bojo, em sua  linguagem, mundos! E o artista sempre será um tradutor destes mundos...  O “artista verdadeiro é sempre o “médium” das belezas eternas e o seu trabalho, em todos os tempos, foi tanger as cordas mais vibráteis do sentimento humano, alçando-o da Terra para o Infinito e abrindo, em todos os caminhos a ânsia dos corações para Deus, nas suas manifestações supremas de beleza, de sabedoria, de paz e de amor”(1).

Podemos perceber que através da arte, um mundo de emoções e informações podem ser canalizadas. A arte tem um papel muito importante na construção destes novos conceitos... Na construção deste Reino de Amor.

Como nos diz André Luiz,  “A arte deve ser o Belo criando o Bom”(2). E desta forma, podemos, enquanto trabalhadores deste novo campo, “Colaborar na cristianização da arte”(2).  Evangelizando através da arte, e dando cumprimento a tarefa de consolar e esclarecer,  como expressão do Amor do Cristo.

(1) Francisco Cândido Xavier – Emmanuel -  Livro O Consolador -Questão 161.

http://www.autoresespiritasclassicos.com/Chico%20Xavier/Chico%20Xavier%20-%20Serie%20Andre%20Luiz/Conduta%20Espirita/Andr%C3%A9%20Luiz%20-%20Conduta%20Esp%C3%ADrita%20-%20Psicografia%20de%20Waldo%20Vieira.pdf

(2) Waldo Vieira – espirito André Luiz - livro Conduta Espírita – ítem 44 – perante a arte.

http://www.oconsolador.com.br/linkfixo/bibliotecavirtual/chicoxavier/oconsolador.pdf

Akiani Kramarik - A menina prodígio

Akiane Kramarik é uma jovem prodígio americana que, ainda na infância, desde os 04 anos de idade, demonstrou dom para as artes, principalmente na pintura, com quadros extremamente realistas e de beleza indescritível. Todos os quadros revelam expressões da espiritualidade. Segundo a jovem, “sua arte é inspirada nas visões do céu, bem como em sua ligação com o Criador”. Ela revela que recebe instruções dos anjos.  Suas telas costumam incluir paisagens, vida selvagem, pessoas. Seu quadro mais famoso é intitulado “O Príncipe da Paz” (Jesus Cristo)

A morte do Cisne em Street Dance - John Lennon da Silva

No programa "Se ela dança eu danço", exibido pelo SBT em 2011, um rapaz de nome John Lennon da Silva, de São Paulo, emociona os jurados ao dançar em estilo pop de street dance uma parte do balé clássico “A morte do Cisne. Sua performance demonstra como a arte pode ser instrumento do espiritual, materializando sentimentos, emoções e beleza

Pedro Siqueira – Terço de Belém – 2018 – Santuário de Nossa Senhora do Perpétuo do Socorro

(Vídeo de 57:45 min)

Pedro Siqueira, católico, vidente de Nossa Senhora e de vários outros Santos, como São Francisco de Assis, Santa Rita de Cássia, São Jerônimo, dentre outros. Este vídeo mostra momentos de consolação aos presentes durante as orações do Terço, cantado e tocado, trazendo respostas às suas dores. As pessoas são chamadas pelos seus nomes, são transmitidos recados e orientações provenientes de Mãe Santíssima. São momentos lindos e emocionantes de Fé e esperança, em que cada um é citado e amparado em suas necessidades.

As Mães de Chico Xavier (2017)

(Duração 1h49m)